Publicacións


Machado de Assis e a «mundana comédia». Cinco peças teatrais

Edición

Martínez Teixeiro, Alva / Martínez Pereiro, Carlos Paulo

Liñas de investigación

Literaturas en lingua portuguesa
Estudos literario-culturais

ISBN

978-84-9749-652-0

Editorial

Biblioteca-Arquivo Teatral 'Francisco Pillado Mayor' (UDC), Serie Verde, nº 72

Data de publicación

2017

Número de páxinas

252

Descrición


Precedidos de uma demorada e aggiornata introdução – «Uma discutida magia da ausência – Machado de Assis e o teatro da mundana comédia» –, os cinco textos teatrais editados criteriosamente neste livro são o resultado de uma escolha que, da parte dos editores e à maneira do poeta português Mário Cesariny, pretende ser “tendenciossíssima”, obedecendo a uma opção parcial – isto é, partielle et partial –, mas que, do mesmo modo, quer ser paradigma do melhor teatro machadiano – também daquele com uma maior potencialidade cénica –, coincidindo tanto com a opinião tendencialmente comunal, quanto com os juízos de valor mais consensuais.

É assim que as cinco peças teatrais selecionadas, produzidas em e representativas da dramaturgia machadiana ao longo de mais de quatro décadas, aspiram a representar as diversas tipologias da comédia da altura que foram cultivadas pelo genial escritor e invulgar intelectual brasileiro Joaquim Maria Machado de Assis (Rio de Janeiro, 1839-1908): isto é, bref, a ‘comédia fársica’ (Quase ministro [1862]), a ‘comédia mítico-alegórica em verso’ (Os deuses de casaca [1864-1865]), a ‘comédia histórico-ficcional’ (Tu só, tu, puro amor… [1880]) e a ‘comédia burguesa’ (Não consultes médico [1896] e Lição de botânica [1905]).

Por outro lado, como afirma o excelente escritor, incomum académico e singularmente plural intelectual Marco Lucchesi, nas «Duas palavras» prefaciais a este volume, deixando de lado o "pálido darwinismo da crítica machadiana, que vai perdendo força no Brasil", o "ensaio introdutório da presente edição responde por esse caráter inovador, com autonomia de voo suficiente para criar ruídos benfazejos para as cinco peças de Machado, como quem usa a grande angular da cultura, em sobrevoo, para capturar a imagem forte com as lentes em zoom, que é o que se espera de um sólido roteiro".